segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Pensamentos - 14

Projectos, planos, sonhos
Sempre fui uma pessoa de viver o presente 
Planeando o futuro, e consigo até,
Planear a longo prazo.
Uma vez traçado o meu objectivo
Jamais o largo,
Faço unicamente pequenos ajustes

Mas há um factor com o qual nunca pondero
Sempre me desilude, e nunca
O prevejo

A falsidade Humana

6 comentários:

ela disse...

Tens razão no que escreves. Começo por dizer-te para teres cuidado com quem segues, comentas e vice-versa. Infelizmente as pessoas hoje escondem-se por detrás de máscaras, fazem-se passar por aquilo que não são.
Acredita no que te digo.

Nonsense disse...

Ela


Esse é o objectivo de não colocarmos aqui o nosso nome....uma mascara.

Quanto ás pessoas fazerem-se passar pelo que não são...isso é verdade também no mundo real.

Não necessito de ter cuidado com coisa nenhuma, porque na prática me estou nas tintas para quem está desse lado.

Escrevo porque me apetece, de mim para mim, é uma espécie de diário...o facto de o comentarem é irrelevante.
Acalma o teu espirito.

O que te pertence de facto, jamais fugirá, e se fugiu, jamais foi teu.

Putta disse...

A falsidade humana é algo que sempre existiu...

Nonsense disse...

No meu mundo também.
O erro é quando acho que existe uma pessoa que não o é.

O desengano é doloroso.

ela disse...

Nonsense

Quanto ao não colocarmos aqui o nosso nome, não o interpreto como uma máscara, mas sim como proteger a nossa privacidade num mundo que anda demasiado promíscuo.

Quando falo das pessoas fazerem-se passar pelo que não são, não falava apenas deste meio da cibernauta, mas sim de tudo, afinal de que é feito o meio da internet? De pessoas, umas mais ou menos reais, consoante o mundo de ilusão que habita as suas cabeças, eu como não gosto de ilusão, dispenso.

O cuidado a que me referi, se foi mal interpretado, desculpa, talvez não tenhas entendido...
Eu em tempos idos também tive um blog e nunca me preocupei com as interpretações de cada um e menos ainda se comentavam ou não, como dizes, também estou-me nas tintas.

O meu espírito está tranquilo, não necessito de o acalmar, apenas me custa ver as pessoas a usarem outras. Sabes, a injustiça, a falsidade, os jogos são coisas que não entram na minha vida, nunca o permiti e se em algum momento alguém o tentou bateu na porta errada.

E para terminar, não sei o que referes que possa ter-me fugido... que eu me recorde nada... pois aquilo que eu não quero nem tem hipótese de me fugir, não é, nem foi meu porque eu não o quis. Só entra no meu mundo quem eu permito.

Gosto de ler os teus pensamentos.

Nonsense disse...

Ela..........

Obrigado